quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Filme Quatro Vidas de um Cachorro é denunciado por maus tratos a pastor alemão.


Durante muitos meses de publicidade intensa muitos puderam ler nas timelines de nossos amigos frases onde diziam já estar preparando os lencinhos para a choradeira que sem dúvida iria acontecer na estreia de mais um filme daqueles que os amantes de cães sabem que vão se acabar de emoção!
E realmente assistindo ao trailer do filme já se previa que choraríamos rios de lágrimas.

Quem não se emocionou com o terrível Marley e eu, ou então com a história de Hashiko, ou torceu muito para que Beethoven escapasse daqueles ladrões malvados?

Pois bem todos estavam aguardando ansiosamente a estreia do filme "arrasa coração de cachorreiro", Quatro Vidas de um Cachorro, título original A Dog Porpuse mas eis que o encanto acaba de ser quebrado!!

Um vídeo em que aparece um treinador forçando um pastor alemão terrivelmente apavorado sendo obrigado a entrar em uma piscina que simula um rio com forte correnteza, vazou na imprensa e toda aquela vontade de assistir o filme passou rapidinho.
Nota se que o animal faz de tudo para não entrar e é empurrado diversas vezes e que evidentemente não deveria jamais ter sido forçado a executar a cena em questão, configurando maus tratos e total falta de ética por parte deste treinador.

O site de notícias TMZ publicou o vídeo onde se pode observar os maus tratos a que o cão é submetido pelo treinador sendo obrigado a entrar na piscina onde 8 motores movimentam a água dando a impressão de uma forte correnteza. Após alguns instantes em que o cão finalmente entra nota se uma agitação porque ele havia submergido e todos se apavoram e param de filmar (vejam o vídeo até fim).

video

Segundo o site, a filmagem ocorreu em uma piscina na cidade de Winippeg no Canadá em 2015.
Consta que o diretor Lasse Hallström, estava presente durante toda a ocorrência. 
A Universal Pictures declarou ao site TMZ que haverá uma investigação sobre o abuso sofrido pelo animal. 

A Ong Peta People for the Ethical Treatment of Animals está tentando fazer com que o filme seja retirado do circuito de cinemas e vem fazendo uma campanha forte em sua página do facebook pedindo que haja um boicote. Mas se depender dos comentários na postagem da postagem da Ong nem será necessário muito esforço para que as pessoas repudiem o filme. 


 
Nota:

A grande verdade é que aos poucos o véu da ilusão vai descendo, e eis que bem em  frente aos nossos olhos e de nossa alma sensível se revelam as dores dos animais.
E ao percebermos que animais treinados para determinadas funções, ou para participarem de shows, filmagens e desfiles muitas vezes sofrem crueldades, humilhações e são desrespeitados em sua essência pode nos deixar tristes e em choque,  mas não podemos jamais  nos calar frente a isso.
Questionar e analisar tudo o que chega até nós é dever de todos os que amam e lutam pelos direitos dos animais.

 



quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Febre amarela - Os macacos assim como os humanos também são vítimas.


Arte: Maycon Portugal

Essa triste imagem abaixo vem circulando nas mídias sociais e voltou a causar preocupação dos que como nós amam os animais e lutam para defende-los.
Trata se de um macaco encontrado morto que foi abatido a tiros na cidade de Manhuaçu/MG sem nenhuma relação com a Febre Amarela conforme constatação da Polícia Militar de Meio Ambiente.


Por ignorância ou mesmo por falta de informações corretas por parte dos que elaboram reportagens a respeito da febre amarela,  muitas pessoas acabam acreditando erroneamente que os macacos são os responsáveis pelo surto que vem ocorrendo em alguns estados, quando na verdade além de também serem vítimas, ainda são importantes sentinelas para a detecção de novos casos.


Abaixo um texto sobre a importância do  papel desempenhado pelos macacos em regiões onde vem ocorrendo a transmissão da febre amarela silvestre.

Fonte: http://blog.saude.mg.gov.br

No Rio Grande do Sul infelizmente também aconteceram casos de agressão e morte a bugios.
Na entrevista o veterinário Marcelo Cunha do Zoológico de Gramado/SC esclarece que estes animais funcionam como sentinelas, também são sensíveis a infecção assim como os humanos e não são vetores. Os transmissores da doença são os mosquitos. 
Vejam a entrevista na matéria do R7 : http://r7.com/hR7T


Preocupados com a violência contra os macacos algumas páginas de proteção a determinadas espécies, como é o caso do Projeto Muriquis do Caparaó começam a se mobilizar para poder tentar esclarecer as pessoas sobre o equívoco que é agredi-los ou matá-los https://goo.gl/7GqaF0


Segundo os especialista a febre amarela urbana não ocorre em nosso país desde 1942.
Os casos de vítimas da doença que tem sido notificados e noticiados tratam se apenas de casos da febre amarela silvestre.
Maiores informações sobre a doença em relação aos locais aonde vem ocorrendo e número de vítimas pode ser encontrado neste link https://goo.gl/jnoOwX





segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

EUA - Falsos protetores são acusados de abater cães retirados de abrigo a tiros

Brian Moore e a namorada Whitney Smither - Foto Daily Mail

O casal que está sendo denunciado por maus tratos, desaparecimento e mortes de animais retirados de um abrigo do Texas/EUA usava a desculpa de dar Lar Temporário a animais que estavam enquadrados no código vermelho, ou seja em vias de serem eutanasiados (a maioria dos abrigos no país ainda é eutanasico e não pode ultrapassar o número estabelecido de animais sob sua tutela) até que os mesmos conseguissem ser adotados.

A falsa protetora  Whitney Smither, uma estudante recém formada no ensino médio chegou a retirar mais de 100 animais do abrigo da cidade de Fort Whort.
Após a investigação e repercussão do caso seu namorado Brian Moore confessou que atirou em cerca de 8 animais causando suas mortes, porque segundo ele, estavam infectados com o verme do coração e outras doenças que poderiam afetar outros animais ou mesmo humanos!!!

Muitos animais estão sendo encontrados pela região em estado de abandono segundo o xerife da área.
Os veterinários que estão atendendo os, atestam muitas doenças e evidências de maus tratos. 

No total o casal retirou do abrigo cerca de 80% de animais resgatados por um grupo em 2016, conclusão a que chegou um investigador da própria equipe do abrigo.
Segundo ele essa falsa protetora enganou muito gente com suas postagens nas redes sociais.


O grupo de resgate Ark-La-Tex Animal Rescue responsável por tirar das ruas os animais e que atua junto ao abrigo de onde foram retirados todos os animais pelo casal criminoso, postou em sua página um post agradecendo a outro grupo de resgate chamado Dallas Dogrrr que atua na região, por ajudá-los com os animais que estão sendo encontrados e mesmo com os que ainda estavam vivos na casa do terror.


Foto jornal Daily News

Junto aos animais abatidos a tiros foram encontrados muitos doentes, com bicheiras, em péssimas condições de saúde e de maus tratos.
Várias partes de corpos também estavam espalhados pelo local.
Um pitbull paraplégico de apenas um ano chamado Charlie foi um dos que foram encontrados mortos na residência do casal.
Alguns animais que foram mortos estavam micro chipados o que facilitou a investigação da polícia.

O namorado cúmplice Brian Moore cometeu pelo menos 8 delitos ligados a maus tratos e responderá por eles.
Já Whitney não foi mais encontrada na cidade onde cometeu os crimes e está sendo procurada em Indiana.

Que isso sirva de alerta aos que acham que todos os que afirmam proteger animais são de fato honestos e éticos.

Nota:
Aqui mesmo no blog já fizemos uma postagem sobre o perigo dos hotéis e LTs. Todo cuidado é pouco quando se trata de  colocar vidas nas mãos de estranhos.
Jamais mandem os animais para estes locais sem fazer uma visita. Temos aqui também uma outra postagem com um contrato contendo os direitos e as obrigações de quem utilizar os serviços deste estabelecimentos.
Todos devem ser visitados constantemente porque quem vê cara não vê coração nem instalações ou as condições em que ficam alojados os animais indefesos.










#DicasEsquadrãoPet


sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Morre a orca Tilikum. Finalmente o gigante está livre!!!


Acima Tilikum em seu confinamento. Abaixo como gostaríamos que ele tivesse vivido - Pinterest


A saga de Tilikum começa quando é capturada no Atlântico Norte, nas águas que banham a Islândia. O ano 1983.
Ainda bebê ela e outras 2 orcas são separadas do bando e capturadas para serem vendidas aos parques aquáticos.
Como muitos outros animais exibidos em zoológicos e aquários pelo mundo Tilikum também foi retirada da natureza selvagem.
Tinha por volta de 2 anos quando o baleeiro foi se afastando e após algum tempo ela ouvia cada vez mais longe os ganidos de desespero de sua família.
Era um macho saudável e jovem e recebeu o nome de Tilikum. No dialeto dos chinook (tribo de índios americanos) o significado é Amigo.

Orcas não são baleias pertencem a família Delphinidae, sendo então uma das espécies de golfinhos existentes pelo mundo. Então quando nos referimos a caça de orcas não podemos enquadrá-las na caça as baleias.

Quando Tilikum foi capturado ficou durante um ano em um zoológico da Islândia e depois foi vendido para um parque aquático chamado Sealand.
Dividia o tanque com duas orcas fêmeas que o atacavam porque ele não conseguia fazer os truques e os três eram punidos com a falta de comida, já que naquela época usavam se estímulos negativos para punir os erros cometidos por animais cativos utilizados em espetáculos.

Até ser vendido ao SeaWorld, Tilikum amargou um confinamento que com certeza levaria muitos de nós a loucura. Ele vivia confinado em um tanque escuro que media cerca de 6X9 metros cúbicos.
Apesar de tanto sofrimento o lindo Tilikum alcançou a incrível marca de 5 toneladas e meia de peso. Um gigante que com certeza deve ter feito muita falta na imensidão do oceano para perpetuar seus genes maravilhosos!!!

Em 1991 uma treinadora do Sealand, Keltie Byrne de apenas 20 anos caiu na piscina e as duas orcas fêmeas juntamente com Tilikum brincaram com ela durante alguns minutos puxando a para o fundo e levando a óbito.
O caso repercutiu negativamente e o parque aquático foi fechado e as orcas foram vendidas ao SeaWorld.

Tilikum no auge de sua maturidade sexual foi usado diversas vezes para gerar filhotes já que as críticas contra captura de orcas na vida selvagem não caiam bem para o parque.
O conforto do SeaWorld melhorou a vida do magnífico ser, porém o confinamento tem o poder de ser sempre cruel não importa o tamanho do tanque ou da gaiola.

Eis que em 1999 um estranho é encontrado morto no tanque de Tilikum. Mais precisamente preso em sua boca.

Novamente em 2010 após vários outros acidentes com orcas a treinadora Dawn Branchea
é morta por Tilikum.  Ela foi agarrada pelo rabo de cavalo na borda do tanque e levada para o fundo onde morreu esmagada.

Os especialistas dizem que as orcas são animais extremamente inteligentes e com uma excelente memória sobre os sofrimentos impostos a eles.
Humanos expostos as mesmas condições que as orcas também reagiram de forma violenta segundo eles.
Poderiam desenvolver sentimentos de vingança?
O que nossos leitores acham?


Não financie o confinamento - Pinterest

Algumas descobertas segundo biólogos e veterinários defensores do confinamento de animais selvagens só é possível quando se tem a chance de observá-los e analisá-los detalhadamente.
Porém os etologistas discordam disto ao observarem que o comportamento de um animal confinado jamais terá o mesmo valor de um em vida livre.

O tempo de vida extremamente reduzido (cerca de 30 anos em confinamento contra até 80 na natureza), o stress provocado pelo espaço reduzido, as doenças geradas pela alimentação morta oferecida, as brigas ocasionadas pela falta de espaço e a falta da consanguinidade, tudo isso deixa cada vez mais claro que o cativeiro destes animais estão com os dias contados.

O SeaWorld vem perdendo público e suas ações vem despencando ano após ano. O documentário Blackfish - Fúria Animal de  Gabriela Cowperthwaite 2013 conseguiu conscientizar muita gente sobre o que ocorre nos tanques onde são mantidos as orcas.
De nossa parte seguiremos lutando até que não mais existam orcas ou golfinhos confinados pelos parques mundo afora.
Aqui mesmo no blog temos diversas postagens sobre isso. Temos um carinho especial por essas criaturas maravilhosas.

Hoje dia 06/01/2017 Tilikum finalmente se libertou de seu cativeiro. O SeaWorld noticiou sua morte após semanas de sofrimento por conta de uma doença infecciosa no pulmão.

Um gigante que não teve a chance de voltar a vida selvagem como tantos defendiam e que na verdade jamais deixou de mostrar ao mundo sua verdadeira índole.
Uma vida toda confinado fazendo gracinhas para gente sem noção que através de um ticket financiam a tortura, a solidão e a tristeza de quem nasceu para singrar os mares do planeta.

Tilikum enfim você está livre!!!