segunda-feira, 17 de abril de 2017

Farra do Boi- Um crime financiado por políticos e empresários resiste!!!

Ilustração/NDonline


E lá se vão 20 anos desde que uma decisão do Supremo Tribunal Federal proibiu a famigerada Farra do Boi através do Recurso Extraordinário de número 153.531-8/SC; RT 753/101. 
Isso ocorreu em 1997 e no ano seguinte com a aprovação da lei de crimes ambientais, a 9605 passaria a existir uma punição para os que praticam crueldades ou se omitem, no caso das autoridades, com os maus tratos aos animais. 
Embora tenha havido uma diminuição na ocorrência das farras, ainda hoje após 20 anos não existem motivos para comemoração, já que ainda são registradas diversas farras apesar da proibição e da pressão exercida pela sociedade, Ongs e ativistas que dedicaram parte de suas vidas a esta luta.

Ativistas que começaram nessa luta ainda jovens envelheceram mas não se aquietaram, não se acomodaram, e como muitos de nós, ainda mantém a esperança de que verão o fim dessa prática cruel e criminosa.

Alguns ativistas realizam um trabalho sério com foco na área educacional durante o transcorrer do ano letivo e mesmo durante férias e feriados a mais de 15 anos, incentivando as crianças a enxergarem os animais com os olhos da compaixão, e aprendendo a respeitar outras formas de vida.
Na esperança de que as novas gerações sejam afastadas dessa pseudo cultura e que se possa enterrar na vala do esquecimento um evento que nada agrega ou acrescenta a vida de crianças e jovens de Santa Catarina.

Entre estes ativistas temos Halem Guerra Nery, presidente do Instituto Ambiental ECOSUL que inclusive tem nos municiado de informações preciosas que resolvemos publicar aqui no blog  para que nossos leitores entendam com um pouco mais de profundidade quais os motivos dessa prática continuar a ocorrer apesar da proibição.

Existe uma resistência em se perpetuar as crueldades contra os animais, isso é fato.  Um hábito arraigado que consiste no financiamento da farra por figuras que fazem questão de que essas cidades permaneçam na ignorância, porque para eles é importante que isso prossiga. Pão e circo sempre é mais barato do que educação, segurança, saúde, qualidade de vida ok?

Uma das informações que nos foi repassada e que pode parecer surpreendente para alguns é a de que as farras acontecem em várias comemorações e não apenas na quaresma. Então ativismo focado apenas nessa época do ano não passa de oba oba e busca de holofotes.
Há que se dar combate durante o ano inteiro e atuar de forma séria e pontual para que talvez daqui há alguns anos se venha colher resultados satisfatórios.
Informação importante para aqueles que estão chegando agora e também para os menos informados!!!
Vejam no vídeo abaixo a constatação disto:

video

As farras ocorrem o ano inteiro bastando ter bois que podem até mesmo ser fornecidos por empresários e políticos e segundo a polícia nos últimos anos o crime organizado também passou a "patrocinar" os farristas fazendo aumentar dessa forma o consumo de drogas, bebidas e brigas durante os tais eventos.
E a conotação religiosa que alguns insistem em utilizar para justificar as crueldades não se sustentam após alguma pesquisa um pouco mais aprofundada.
Para quem não sabe as atrocidades contra os bois começam bem antes da farra em si. Durante dias o boi é confinado sem condições de matar a sede e a fome, mesmo visualizando a água e o alimento que são mantidos longe de seu alcance. Após todo o sofrimento é solto, perseguido, estocado, espetado, espancado, e em alguns casos no desespero extremo chega ao mar onde se afoga.
Tudo isso na verdade nos lembra muito mais um ritual de torturas sádicas engendradas por um psicopata do que algo ligado a manifestação religiosa com certeza.
Existem farras para todos os gostos, nos dias dos pais, das mães, das crianças, aniversários, casamentos etc....

As medidas adotadas pela polícia nos últimos anos para evitar que os bois cheguem nestas comunidades, tais como a vigilância nas estradas e revista em caminhões não surtem resultado também já que os animais já vivem nestes locais pois se trata de área rural.
Este seria outro ponto para se reavaliar no que se refere ao combate da prática cruel.

Em um excelente texto intitulado Mangueírão Eleitoral e outras Farras - O retorno, Halem Guerra nos explica exatamente o que ocorre nas comunidades onde a farra insiste em não deixar de existir apesar de todo o esforço de ativistas e autoridades.
Cliquem no link para acessar o texto:  https://goo.gl/XMe00F

Em Sul do Rio/SC em 2003 um vergonhoso flagrante de uma farra bancada por um vice prefeito.

video


E finalmente nesta Páscoa de 2017 algumas iniciativas isoladas de policiais militares que se declararam  dispostos a acabar com a Farra do Boi, com direito a balas de borracha e até helicóptero surtiram  efeito e fez com que algumas ações repercutissem na mídia.
Parabéns a este guerreiros que mesmo com um pequeno efetivo tentam acabar com este evento de dor e sofrimento.
Vejam abaixo na matéria do BiguaNews.

https://goo.gl/qrPH1f

Não se calem. Denunciem sempre. É no silêncio que o mal se perpetua. 



.


quarta-feira, 22 de março de 2017

ES - Criadoras de Spitz Alemão são denunciadas por exercício ilegal de medicina veterinária e maus tratos.


Reprodução Print de vídeo/ Facebook
Vários vídeos estarrecedores começaram a circular no facebook na semana passada onde cães da raça Spitz Alemão de uma criadora no Espírito Santo cujo canil se chama Blue Point estão em mesas de cirurgia sendo costurados e passando por procedimentos cirurgicos ao mesmo tempo em que se movimentam e chegam a ganir de dor.

video

Evidentemente que os vídeos causaram muita revolta e indignação por parte de quem acessou os e por chegar a ser até mesmo surreal poucos partilharam porque com certeza nem acreditavam no que estavam vendo.
Após muitos compartilhamentos a denúncia chegou ao CRMV/ES que se prontificou a fazer a averiguação e possível punição por prática de exercício ilegal da profissão de veterinária já que as proprietárias do Canil Blue Point além de não terem licença para realização de cirurgias nem quem as está realizando é veterinária.


A Deputada Estadual e presidente da CPI dos Maus Tratos aos Animais da Assembléia Legislativa do ES Janete de Sá também se mobilizou para realização de uma vistoria ao Canil Blue Point. A vistoria não encontrou nem licença de funcionamento do canil nem sequer um veterinário responsável.
O incrível é ver o descaso do poder público em relação a estes criadores já que segundo as proprietárias já estão no mercado há cerca de 30 anos.
Vejam sobre a vistoria na fanpage da deputada https://goo.gl/75k3ra

Em um das entrevistas a emissoras de TV uma das criadoras que aparece no vídeo fazendo cirurgia em um spitz alega que havia uma veterinária e que aquilo tudo foi momentâneo.

video


Até o momento em que fizemos este material a página do facebook do Canil Blue Point estava fechada.


Fontes:
https://goo.gl/b9bg4x
https://goo.gl/nAJP0k

Nota:
Enquanto não houver seriedade por parte das autoridades competentes para que haja fiscalização e punição a estes criadores inescrupulosos os animais continuarão a sofrer e a ser usados e descartados após uma vida sendo utilizados para gerar lucro.
Enquanto a sociedade não se conscientizar de que vidas não deveriam ser vendidas nem compradas como se objetos fossem jamais avançaremos na questão dos direitos dos animais em sua plenitude.


terça-feira, 21 de março de 2017

Projeto Adote um Orelhudo ganha o Prêmio Expressão Ecologia



Um lindo projeto desenvolvido e coordenado pela protetora Sabine Fontana, sobre o qual já falamos aqui no blog acaba de ganhar o Prêmio Expressão Ecologia.


Projeto Adote um Orelhudo da protetora Sabine Fontana nos enche de orgulho e mostra que um trabalho feito com conhecimento, carinho e dedicação pode mudar a vida de centenas de animais mesmo com um estrutura enxuta e pouco dinheiro envolvido

O Prêmio Expressão Ecologia foi criado em 1993 após a Eco 92 e de lá pra cá contempla anualmente projetos que incentivam a sustentabilidade tanto desenvolvidos por empresas como por ambientalistas da região sul do país. Em 24 anos de existência o prêmio bate record de inscritos e seus eventos são importante acontecimento para Ongs, ambientalistas, representantes de empresas públicas e privadas

Para os que lutam  para mostrar que o comércio de animais é um mercado que na maioria das vezes envolve crueldades e abandonos pois muitos compram por impulso. Sem contar que também temos os que são distribuídos em eventos diversos o que por si só é um equívoco e merece ser sempre combatido. É de extrema importância que este prêmio tenha sido concedido a um projeto que defende coelhos afinal estes nem sempre conseguem a mesma visibilidade de cães e gatos.

Importante também que se diga que eles são vendidos o ano inteiro em pet shops e avícolas e sofrem abandonos também  o ano inteiro.
Morrem sem ter como se defender em parques, praças e jardins afinal são animais que nascem em cativeiro e no máximo conhecem um quintal e jamais teriam condições de sobreviver na natureza como alguns acreditam.
A maioria chega ao projeto desnutrido, desidrato, com lesões, com sarna, olhos machucados e por vezes não sobrevivem.
Após se recuperarem são castrados e colocados para adoção. Enquanto isso não ocorre recebem cuidados e alimentação balanceada.



São presas fáceis de cães, atropelamentos e maldades de muitos que os encontram. Nem sempre se adaptam a rotina de uma casa. Nem sempre aprendem a fazer suas necessidades em um local pré determinado e nem sempre são dóceis já que alguns são ariscos. Os mini coelhos costumam inclusive ser agressivos e por vezes reagem a apertões mais afoitos mordendo para escapar.

Um PDF é disponibilizado para que se conheça mais sobre o Projeto Adote um Orelhudo.

Nele encontramos alguns números que demonstram a importância deste lindo trabalho.
Iniciado em Maio/2008 o projeto beneficiou diretamente 1.350 coelhos e impediu o nascimento de pelo menos 50.000 coelhos já que atua também na castração dos animais que são doados.

O projeto também dá suporte a outras Ongs ou protetores que necessitam de informações e dicas de como proceder para proteger os coelhos.
Mantém também parceria com o Instituto Ambiental Ecosul, com a DIBEA­ Diretoria de Bem­ estar Animal de Florianópolis, CETAS­ Centro de Triagem e Recuperação de Animais Silvestres e outras ONGs. para o desenvolvimento dos objetivos estabelecidos para o projeto.

Para maiores informações e até mesmo o contato dos coordenadores do  projeto caso queiram oferecer alguma ajuda ou buscar alguma assessoria, acessem a documentação apresentada pela ocasião da inscrição no Prêmio Expressão Ecologia. 

https://goo.gl/R6RBUU

Visitem a página do projeto no facebook.









sexta-feira, 17 de março de 2017

Operação da PF chamada Carne Fraca poderia se chamar Carne Podre




Não é novidade para ninguém que nós os defensores dos direitos dos animais lutamos  há décadas para mostrar a população as crueldades que envolvem os abatedouros e matadouros de animais pelo mundo.

As incontáveis crueldades muitas vezes encerram investigações feitas em matadouros ou abatedouros e e  divulgadas para que os consumidores adquiram consciência dos maus tratos a que são submetidos os animais que passam por estes locais antes de serem abatidos.

Porém existe uma teoria de que nem sempre as imagens ou vídeos são de fato vistos pelos consumidores de carnes e derivados.
Outro ponto que é também avaliado seria o de que se o impacto destas divulgações seriam  captadas da forma que gostaríamos, já que nem todos possuem compaixão pelos animais ou mesmo os enxergam como seres vivos, e caso tenham que abrir mão de um bife sangrando pensariam no sofrimento de quem morreu para lhe fornecer aquele pedaço de carne.

Nesta sexta feira, 17 de março algo sacudiu o mundinho dos consumidores de churrasco e embutidos no Brasil.
Uma operação da Polícia Federal intitulada Carne Fraca visando desarticular uma quadrilha composta por fiscais agropecuários federais e empresários ligados a grande frigoríficos foi deflagrada no dia de hoje e o que ela revelou é assustador e deve fazer muitos consumidores de carne no mínimo ficar um bocadinho enjoado.

Para fazer vista grossa a todo tipo de irregularidades, tais como uso de substâncias cancerígenas para maquiar carne podre, emissão de notas fiscais falsas de produtos com SIF (Serviço de Inspeção Federal) para a compra de carne deteriorada, embutidos incrementados com papelão, carne de frango no lugar da carne de peru, carne de cabeças de porcos ou bois eram utilizados como recheio para linguiças e salsichas e ácido ascórbico dava o toque final em matérias em decomposição para tirar o cheiro ruim fiscais eram corrompidos através de propinas pagas por empresários do setor dos agronegócios.

Entre os frigoríficos envolvidos estão a JBS ( maior processadora de carne bovina do mundo), BRF Foods, surgida da fusão da Sadia com a Perdigão, e a Seara.

Partidos políticos também se beneficiavam da podridão toda, foram citados por enquanto o PMDB e o PP.

Hoje as mídias sociais e principalmente as páginas ligadas ao vegetarianismo e ao veganismo ficarma recheadas de memes, alguns engraçados outros mais críticos ou politizados.





Matérias que circularam sobre a operação Carne Fraca;

https://goo.gl/aafYPa

https://goo.gl/gSs4nT

https://goo.gl/h90iyc

Nota:

Embora estejamos aqui de certa forma aliviando o tema com os memes que não param de ser postados o assunto é sério e muito grave. Trata-se de mais um setor ligado a corrupção e a sujeira em que nosso país está metido até as tampas, e os crimes cometidos além de envolverem a questão da Saúde Pública nos traz também a triste constatação de que além dos animais viverem uma vida que existe apenas para o abate, além de toda a crueldade dos matadouros e abatedouros, ainda existe a questão de se ludibriar o consumidor vendendo produtos estragados, contaminados, encharcados em substâncias cancerígenas. E não podemos nos esquecer de todo o impacto ambiental que vem na esteira do trator que devasta nossas florestas transformando-as em pasto e em plantações de soja para se transformar em ração para o rebanho. 
Um país onde a bancada ruralista avança a passos largos tentando aprovar todo tipo de crueldade contra os animais com certeza é um país que precisa urgente ser reinventado. 

Obs: não encontramos as autoriais dos memes. Se alguém quiser se declarar autor é só mandar um aviso que prontamente atenderemos.

terça-feira, 14 de março de 2017

Será que as Comissões de Defesa e Proteção Animal da OAB estão cumprindo seu papel?



Recentemente um episódio extremamente grave aconteceu a uma entidade de proteção animal da cidade de SP o que nos fez buscar mais informações sobre as atribuições e competências das comissões da OAB.
Na verdade já faz um bom tempo que temos visto e ouvido histórias das famosas carteiradas feitas por membros dessas comissões que tem levado muitos ativistas a questionar se de fato a existência delas deve prosseguir.
Então vamos a este fato que recentemente nos deixou realmente assoberbados para que possamos esclarecer algumas dúvidas.

No dia 04 de fevereiro de 2017 um grupo que se auto intitula "Tudo Junto e Misturado" e que há cerca de um ano vem insistindo em difamar a Uipa/SP cujo histórico de décadas de atuação na defesa dos animais é bem conhecida, organizou uma invasão ao abrigo da instituição comandado por alguns integrantes da Comissão de Defesa e Proteção Animal da OAB/SP.

Munidos apenas de um simples ofício que bradavam como se fosse um mandado judicial, o grupo sob o comando de membros da tal comissão quebrou cadeados, invadiu, ameaçou, agrediu funcionários e coletou sangue a força de vários animais abrigados na entidade.
O ato de invasão a essa entidade foi um desrespeito total a animais e a  humanos, uma violência ao princípio da inviolabilidade do domicílio,  utilizando se de um abuso de poder que nem possuíam bastando  dar uma olhada nas normas da própria OAB/SP para se ter certeza dessa afirmação.

Aqui o relato do episódio feito pela presidente da entidade para que todos possam constatar como tudo se sucedeu.

Junto a este grupo haviam também 3 "veterinários" e o que pode parecer inacreditável para alguns, poderá ser confirmado no Boletim de Ocorrência de n°732/2017 - 08° DP que foi registrado após o flagrante  feito pelos polícias que foram acionados para conter a invasão.

Infelizmente grande parte do grupo conseguiu se evadir da sede da entidade com a chegada da polícia, porém o mais incrível é imaginar que possam existir  profissionais de veterinária que tenham aceitado participar de algo assim já que qualquer um que tenha o mínimo de conhecimento sabe que coleta de sangue em determinadas condições com certeza provoca alterações de resultados. Principalmente neste caso onde o desespero em que a situação colocou os animais pegos a força em meio a lutas, gritarias e agressões ultrapassou qualquer preocupação com o bem estar e segurança dos tutelados da Ong, e evidentemente nenhum juiz aceitaria laudos feitos de forma ilegal.

Apenas um juiz poderia determinar uma coleta de sangue tendo inclusive que fazer a indicação de profissionais ligados a algum órgão oficial, isso é fato.
E se existem problemas na entidade como alegam e que inclusive já teve denúncia acatada pelo  MPSP, então por que motivo se tentar conseguir mais provas com uma invasão totalmente ilegal?
Que os órgãos competentes se encarreguem de tomar as providências cabíveis no caso visando o que for melhor para os animais e não se corra o risco de inviabilizar a instituição como vem acontecendo já que os principais afetados serão os animais.

Para conhecimento. Neste link nossos leitores poderão acessar a informação de quem são os integrantes da atual comissão de Defesa Animal da OAB/SP. Nem todos que compõem a comissão participaram dessa invasão, importante se esclarecer isto, porém é necessário que a OAB/SP se manifeste sobre o ocorrido e coloque o movimento de proteção animal a par das providências que foram tomadas para pelo menos se desculpar pelo ocorrido.  https://goo.gl/MjGfLW

Este episódio no mínimo preocupante nos chama a atenção para algo que muitos que pertencem a causa de defesa animal vem percebendo já há algum tempo. O uso destas comissões para empoderamento e intimidação por parte de alguns de seus membros, que usam seus cargos para intimidar e constranger Ongs e protetores que não reagem por temer ameaças e  retaliações.
Sem contar o desvio de objetivo destas comissões visando se alçar cargos políticos ou mesmo eleitoreiros.
E vamos falar sério, com certeza não tem nenhum propósito termos políticos atuando nestas comissões não é mesmo? Ou tem?
Com certeza é salutar e necessário uma reavaliação dos objetivos desta que talvez seja uma importante ferramenta para a sociedade mas que vem sendo usurpada em seus objetivos.

Para que não reste dúvidas leiam  a norma abaixo que está disponível no site da OAB/SP e que nos dá a exata noção das atribuições destas comissões:

PORTARIA GVP 01/2013 
“ Dispõe sobre o funcionamento das Comissões Especiais da OAB SP, regulamentando s da OAB SP, regulamentando sua composição e atividades, atualizando e consolidando as normas vigentes”. 

12) Quando a investigação de uma questão pontual for atribuída a uma Comissão, e a decisão for a de oficiar outra autoridade ou entidade para seu encaminhamento e solução, à Comissão não caberá mais acompanhar a tramitação dessa providência, sendo a responsabilidade da autoridade oficiada, dispensando a autuação como processo. O interessado e a Diretora Vice-Presidente serão comunicados do encaminhamento, e respectivo arquivamento. 

Nas normas abaixo a descrição dos objetivos das Comissões:

8) As Comissões têm por objetivo assessorar e subsidiar à Diretoria da OAB SP no encaminhamento e solução das matérias de sua área de abrangência, podendo, para tal finalidade: a) elaborar trabalhos escritos e pareceres;   b) promover pesquisas e eventos que estimulem o estudo a discussão e a defesa dos temas afetos à sua área de atuação; c) cooperar e promover intercâmbio com organizações de objetivos iguais ou semelhantes, mediante prévia autorização da Diretoria; d) criar e manter atualizada a página de sua Comissão, no site da OAB, disponibilizando os trabalhos na Biblioteca, para consulta e pesquisa dos advogados.

9) As Comissões devem desenvolver ações voltadas principalmente aos advogados, a fim de suprir suas necessidades com relação a sua qualificação e aprimoramento profissional, abrindo novas oportunidades no mercado de trabalho privativo da Advocacia.



Abaixo o link para acessar a totalidade das normas e regulamentações das comissões:
https://goo.gl/kLYECc


NOTA:
Todo trabalho em prol da defesa dos direitos dos animais é bem vindo e deve ser sempre conduzido na forma da lei para que a sociedade possa dessa forma se conscientizar do tão almejado respeito que estes merecem e pelos quais tanto lutamos. 
Como poderemos exigir da população algo se não dermos o exemplo? 
Como poderemos lutar pelos animais sem respeitar limites e mesmo outros seres humanos?
Sem dúvida estamos em uma fase conturbada e que pelo interesse da mídia vem atraindo todo tipo de escaladores sociais e oportunistas que viram nessa causa uma forma de se dar bem de alguma forma, mas o verdadeiro protetor e ativista jamais se calará perante a isto!!!